Juliano Farias
Executivo de growth
x
Olá, tudo bem? Obrigado pela visita! Como podemos ajudar?
Conversar com Juliano

Influencers: pesquisa inédita aponta que 75% do público já fez compras por conta de reviews e publicações

Uma pesquisa inédita realizada pela Opinion Box em parceria com a Influency.me revelou dados interessantes sobre o marketing de influência, criadores de conteúdo e seus públicos nas diversas plataformas. Dos entrevistados, 75% declarou que já comprou produtos por conta de reviews ou publicações dos influenciadores digitais.

Contextualizando, a amostra do estudo é de 2.120 pessoas de todas as regiões do Brasil, sendo 48% homens e 52% mulheres, com idades entre 16 e 60 anos. Falando ainda dos seguidores de influenciadores, a prática é mais comum entre mulheres e pessoas mais jovens, sendo que oito em cada 10 entrevistadas do sexo feminino seguem algum criador de conteúdo. De maneira geral, três em cada quatro internautas acompanham os influencers.

Os dados impressionam e mostram a importância do investimento nesta área. Claro, como já falamos aqui no blog, sempre com planejamento e objetivos bem definidos, além de acompanhamento de resultados. Mais do que nunca os consumidores buscam experiência além da simples compra de um produto: eles querem conexões reais. E é aí que mencionamos o poder dos influencers: seus estilos de vida, objetivos, opiniões pessoais, segmentação de conteúdo, simpatia e interação nas redes faz muita diferença na hora de incentivar as compras. 

Dentre as pessoas que já adquiriram algo depois de ter visto conteúdo publicitário sendo postado pelas personalidades nas redes, alguns segmentos ganham destaque: 26% já compraram roupas, 25% cosméticos, 22% cursos e conteúdos educacionais, 21% livros e 20% maquiagem.

Um ponto que merece ser ressaltado é que, com as redes sociais, a velocidade da propagação da informação e as possibilidades infinitas de interação - que geram proximidade e validação -, o principal motivo que leva as pessoas a comprarem são as chamadas reviews, ou seja, alguém que ela gosta e se identifica testando e aprovando o produto (vale lembrar que nem sempre este tipo de conteúdo é pago) - 38% do público afirmou que realizou a compra por conta disso. 

Voltamos também a falar do objetivo principal quando mencionamos publicidade nas redes: despertar a necessidade de compra, visto que, na maioria dos casos, elas não são canais que as pessoas acessam com o intuito exclusivo e direto de compra. Prova disso é que 27% dos que compraram algo afirmaram que já precisavam do produto e o influenciador fez com que eles lembrassem daquele desejo ou necessidade.

Interesses

O levantamento também questionou as principais áreas de interesse, ou seja, quais são os assuntos que podem gerar mais engajamento e atrair mais seguidores. Viagem e turismo ficou no topo da lista (36%), seguido por finanças (35%), saúde e fitness (34%), humor (31%) e gastronomia/receitas (25%). 

Os internautas responderam a pesquisa de como este conteúdo deve ser mostrado e não somente sobre o que o influenciador deve falar. Neste caso, algumas características se destacaram quando se trata de um post que chama atenção e engaja: primeiro ele precisa ser confiável. Depois é necessário ser explicativo, direto ao ponto, bem-humorado, bem produzido, espontâneo e simples.

Formatos e plataformas

Temos aqui uma revelação que não é surpresa, inclusive pelas mudanças e atualizações de algoritmos feitas nas maiores redes sociais do mundo nos últimos meses: 34% do público prefere vídeos de média duração, que têm entre um e três minutos. 21% gosta mais dos vídeos curtos, de menos de um minuto. Depois, temos o formato de longa duração, com mais de três minutos (19%), stories (18%), fotos e imagens com texto (6%) e, finalmente, áudio (1%).

O Instagram é a segunda rede social mais usada no Brasil, de acordo com as estatísticas do SimilarWeb, perdendo apenas para o WhatsApp. Ele tem mais de 85 milhões de usuários ativos diários. Por isso, embora a plataforma tenha recebido algumas críticas recentemente, ela ainda é a rede social #1 quando falamos de representatividade e número de usuários. Consequentemente, os influenciadores estão presentes nela e 90% dos internautas seguem eles por lá. Na sequência temos o YouTube (62%), Facebook (37%) e o TikTok (35%).

Depois de apresentar todos estes dados, acredito que convenci os leitores da importância do marketing de influência estar presente no planejamento estratégico da área de comunicação da sua empresa, não é mesmo? Por isso entre em contato conosco por meio deste link e tenha uma equipe de especialistas à sua disposição para alavancar a sua marca!

Fonte de dados e imagens: Opinion Box e Influency.me - Relatório Influenciadores Digitais 2023 - Agosto /2023.

Rick Garcia

AUTOR DO TEXTO:
Rick Garcia
Sócio-diretor | Publicitário
Em sua carreira atendeu empresas reconhecidas internacionalmente, destacando entre elas a RPC (afiliada Globo), Fundação Banco do Brasil, Claro, Oi, Cyrela, THÁ, Jandira Alimentos, Chef Vergé e Bem Me Quer.

Cadastre-se ao lado em nossa newsletter e receba conteúdos para que o seu negócio vire referência no mercado

QUER UMA PROPOSTA?
Home